ANO 6 - EDIÇÃO 040
Tocantins/Goiás, 38 de julho a 10 de agosto de 2012
SALOMãO
Salomão Wenceslau divulga o Tocantins nas Olimpiadas em Londres


 Ele diz que é do Gongomé, mora em Palmas e leva o nome do Tocantins pelo mundo afora. Leva nas camisetas, no chapéu de capim dourado, leva na voz, nos textos, no peito e raça. É Salomão Wenceslau Rodrigues de Carvalho, 51 anos, casado com a professora Joana de Castro, pai do Aurélio e um homem de muitos amigos. Polêmico, fala e escreve o que pensa de todos, dos políticos, dos desportistas, dos empresários e até dos amigos. Salomão vem realizando um projeto ousado, considerado por muitos "como maluco", mas o fato é que o nome do Tocantins está sendo levado para mais longe e ganhando fama além do Paralelo 13. Transmitiu por sua rádio (Cultura de Miracema), a Copa do Mundo da ´Afica do Sul, a Copa América na Argentina, acompanha a seleção brasileira onde ela estiver e agora está em Londres, nas Olimpíadas. Foi de lá que ele nos concedeu essa entrevista.

 ( Confira fotos: Salomão com o repórter da Rede Globo, Naves Dallas estados Unidos, na porta do estádio e com os profissionais da Globo e TV Record antes do treino da seleção no campo do Arsenal. 
                 

Você diz que é do Gongomé, mas nasceu em Goiânia. Que confusão é essa ?
                   

Nilo, gato que nasce no forno, não é bolinho. É gatinho. Eu nascí em Goiânia, capital, mas fui criado na roça, no povoado do Gongomé. Portanto, é de lá que eu sou. E não tenho vergonha de dizer que sou da roça, pelo contrário, me orgulho muito. Houve trabalho com a caneta, mas já fui da enxada, da foice e do cuitelo.
             

  E o Tocantins, Palmas, o que é para você ?
 Tocantins foi uma escolha. Eu escolhi. Não ganhei lote, não ganhei emprego no Governo ... Mas ganhei amigos, uma mulher bonita,um filho maravilhoso. Isso vale mais que tudo.
                   

E esse negócio de acompanhar a seleção brasileira, de viajar o mundo. Pra que, o Tocantins não tem nem futebol ? 

 (risos) Não dá para ficar a vida toda perguntando, quem nasceu primeiro, se o ovo ou a galinha ? 
                   

PA - Isso não é muita metidez sua ?
                    

 Nem tanto, Nilo. Vou explicar: antes do Tocantins, trabalhei na crônica esportiva brasileira. Minha carteira a Abrace foi assinada pelo Fracisco José(Globo) em mil,novecentos e antigamente. Quando o Brasil conquistou o direito de sediar a Copa do Mundo, fiquei pensando, e agora: volto ou não para a crônica esportiva ? Eu não queria ver a Copa passar, queria estar nela. Aí pensei: posso me incluir e de alguma forma, ajudar o Tocantins. E meti o pé na estrada, começando pela África do Sul.
                   

 Dizem que o Gaguim bancou sua mordomia na África do Sul, é verdade ?
                   

Invejoso e incompetente tem para todo lado. E mentiroso também. O Gaguim é meu amigo pessoal, mas queria que eu ficasse na campanha dele e não viajasse. Banquei o jogo e a rádio com a indenização que recebí da Invescto,de minha chácara no Canela. Aliás, tive de ir na Justiça, pois só pagavam os peixinhos deles na época.
                   

E como é esse trabalho, que vejo texto, foto, televisão e rádio. Você aparece em tudo, cara ?
                   

 

 Trabalho de EUquipe (rs). Como a grana é curta, tenho de fazer de tudo. Como sei um pouco de cada coisa, vou levando. A turma aquí também fica meio maluca, porque uma hora estou escrevendo, outra fotografando, outra filmando ... as vezes a gente pára para comer. é trabalho duro, mas é bom. Aí tenho uma equipe pequena, mas eficiente e ajuda muito, faz com que tudo dê certo. Tudo feito com amor, dá certo.
 

Você falava que Palmas tinha de lutar para ser sub-sede da Copa do Mundo, eu vi gente de chamar de louco. Agora deu certo.  que  você acha ?
                   

  Nilo, você lembrou bem, muitos achavam loucura. Aliás, pouca gente sabia o que era isso. Mas é o lucro da ousadia de transmitir Copa do Mundo e ficar sabendo das coisas. Graças a Deus, teve gente que nos ouviu, ajudou, o Governo e a Prefeitura acordaram a tempo, trabalharam muito e deu certo.
                   

 

 Mas como seremos sub-sede, se até o campo não está totalmente pronto ?    

Esse foi o segredo da descoberta. Foi mostrar para nossas autoridades, que o pacote da copa já previa dinheiro para isso. O Tocantins, ao invés de gastar, vai receber dinheiro para terminar o estádio e ainda arrumar um montão de coisas. E nosso aeroporto pode entrar na parada, ganhando recursos para um gigantesco terminal de cargas, para dar suporte a Brasília. Isso sem falar no turismo, na vitrine que teremos para mostrar o Tocantins e Palmas para o mundo. Maravilha, Nilo.

 

  E o nosso futebol, vai continuar em baixa ?     

Acho que teremos passos importantes para o futuro. A sub-sede é um despertar grande. Porém, acho que precisamos de um toque de profissionalismo em nosso futebol. A gente pode ser pequeno, mas pode ser organizado. É aquela história: pobre,mas limpinho. Nosso futebol precisa disso, de profissionalismo dos dirigentes, dos políticos e também dos empresários. Tem de unir estes três setores para alavancar nosso futebol. Creio que isso é possível a médio prazo.
 

 Como está em Londres, o povo aí é mais estressado que os paulistanos ?

Cidade grande é quase a mesma coisa. Hamburgo,Frankfurt, Nova Yorque, Buenos Ayres, São Paulo, Londres... O diferencial, é que aquí, a segurança é muito maior. A polícia não anda armada e tem câmeras por todo lado. Isso aquí é um big-brother. Ruim é a chuva, a água é tão fria, que parece que vem do freezer.
                   

 E a sua briga com Siqueira, por que foi mesmo ?    

 

Nunca teve briga, Nilo. Onde você já viu pobre  brigar com rico ? Ele tem o jeito dele, eu tenho o meu, mas nos respeitamos e conversamos normalmente. As pessoas acham que brigamos, só porque votei no Gaguim. Isso é opção de voto, não é briga. Tenho respeito por sua luta, por seus quatro mandatos.
                   

 

Mas você recusou publicar anúncio do Governo no seu jornal. Por que ?
                   

 

Porque o Governo não quer pagar as contas antigas. Se compro algo numa loja, tenho de pagar, para continuar com o crédito. Minha empresa tem de pagar os impostos para tirar as certidões negativas. É o que o Governo faz com a gente, por que tem de ser diferente com ele ? Só que isso não é briga, é desencontro comercial.       

 

 Aquí estão começando o julgamento do Mensalão. Daí, o que você acha que vai dar ?       

 

  Qualquer que seja o resultado do julgamento, o saldo final vai ser o mesmo: o povo está descrente com o Judiciário. E o espelho está bem na frente deles: há quantos anos eles vem enrolando isso no Judiciário ? Dizem que os políticos é que são malandros, mas é o Judiciário que solta ou deixa de mandar prender.

 

Para encerrar, dizem que você viaja com a mala cheia de coisas  de capim dourado, é para vender? (Risos)

 

Quando jovem, estudante, participava de seminários, congressos, ... Muito pobre  tinha de levar coisas para vender , para tirar o dinheiro da comida. Vi que isso é uma tarefa a mais, mas é  a luta pela sobrevivência  e não tira pedaço de ninguém. Agora levo objetos de capim dourado  para presentear as pessoas que encontro , uma autorridade, esposas de autoridades, de amigos e até mesmo atendentes de hotéis. É uma maneira de mostrar o Tocantins por onde ando.

 

Você ganha isso de quem?

Já acham que meu trabalho é uma loucura, se pedir alguma coisa, ai vão quierer me internar.(kkk) Compro e levo. É como escola de filho, você paga apertado, mas dá prazer. Me sinto bem levando as coisas da minha terra. Tenho certeza que 99% das pessoas presenteadas, não irão ao Brasil. Mas vão usar. E se encontrar um brasileiro,  vão tratá-lo bem, e se for um tocantinense,  melhor ainda. Acho isso bom, faço e não me tira pedaço.

 

 

GERAL

 

 

 

Jornal Página Aberta © Protegidas pela leis de Copyright